A Alquimia Resiliente de um Corredor …

O final de semana que passou foi sensacional, consegui me reencontrar com sentimentos únicos e sublimes, os sentimentos da superação e da determinação. Apesar de ter voltado aos treinos constantes e evoluindo, tinha que colocar a prova minha condição de ir além novamente. Para aqueles que não sabem convivo atualmente com um joelho e meio, isto por conta de uma lesão complexa do menisco, onde um “teco” do menisco foi amputado, e a solução para o problema seria a cirurgia e o afastamento por seis meses de qualquer atividade física, no momento do diagnostico estava iniciando uma nova fase em minha vida profissional e acabei por deixar para um segundo momento a cirurgia, naquele momento foi a decisão mais assertiva.

Resiliência

E como a palavra do momento é a resiliência, creio que segui à risca a definição da palavra:

“Resiliência é a capacidade de voltar ao seu estado natural, principalmente após alguma situação crítica e fora do comum.”

Mas como ser resiliênte diante de tantos contras, lesão, desemprego, depressão, ganho de peso e outras coisas da vida real. Não existe formula mágica, o alicerce para ter a capacidade de ser resiliênte, está na superação e determinação que todos nos carregamos dentro de si.

E no domingo passado (23/02/2014) na VIII Meia Maratona Internacional de São Paulo, fui em busca daquele cara que já havia corrido dezessete meias maratonas, e outras centenas de provas, mas este cara não estava em meio à multidão de corredores, ele estava bem ali dentro de mim, apenas aguardando o momento da largada para ter mais uma vez a chance de se superar e provar que sim tudo é possível. E nada melhor que os 21km da dura e quente Meia Maratona Internacional de São Paulo, para suar em bicas e lavar a alma.

E antes mesmo da largada, aquele cara começou a dar as fichas, planejei minha prova já sabendo das pirambeiras que iria encarar, e estabeleci mentalmente meu pace de 05h30 por km para fechar abaixo das 02h00 os 21k, e as 07h15 foi dada a largada desta vez sem os amigos de todos os kms para aquele famoso “boa sorte e boa prova”. Borá lá fomos em antes do 1km eis que encontro o Zé Eduardo, para desejar uma boa prova e assim meio que abençoar os 21km que viriam pela frente.

Busca de Si Mesmo

Procurei manter a estratégia, sem me influenciar pelos corredores que voavam baixo para os 5km, e eu tinha como primeira meta passar pelos 10km abaixo dos 00:55:00, neste ano tivemos muitos mais corredores que em anos passados, e como consequência muitos pontos com afunilamento de corredores e pontos até que tive de parar, e consegui manter um pace médio de 05h25 por km, passei pelos falsos planos do elevado Costa e Silva, e fomos em direção à região da Luz, e ao passar pelos 10km consegui atingir meu primeiro objetivo dentro dos 21k, mas com o passar dos kms e com o calor aumentando, meu rendimento foi caindo em muito, e novamente “odeio o calor”, pessoalmente para mim calor e corrida não combinam, mas precisam coexistir.Meia Maratona de São Paulo Medalha

Ao passar pelo 15km com 01h27, percebi que não havia como eu fechar a prova no sub 02h00, utilizei meu Ibuprofeno pois o joelho começava a reclamar alto e ainda pela frente tínhamos a passagem rumo ao elevado Costa e Silva, que naquele momento da manhã o sol já fazia suas vítimas, com muitas ambulâncias com suas sirenes abertas em auxilio de corredores que sucumbiram ao calor. Superada a última passagem pelo elevado, restavam agora pouco mais de 2,5km pela frente, mas mesmo utilizando meu gel de carboidrato com cafeína e até mesmo capsulas de cafeína, foi um final muito duro, mas em minha mente a palavra que martelava era a resiliência, transformar se adaptar e buscar meios de se superar, e ao ver a chegada naquela subidinha cretina, estava certo que havia me reencontrado finalmente, mesmo sem ter alcançado o sub 02h00, conquistei algo muito maior, minha confiança e fé, nesta alquimia chamada vida de corredor.

Borá que o próximo desafio já tem data e local, e será na corrida de montanha nos 23k em Igaratá.Igaratá 23k

Sucesso Sempre e sejamos sempre Resiliêntes !

4 Comentários para A Alquimia Resiliente de um Corredor …

  • Sandra Dalberti  says:

    Muito inspirador seu relato, te acompanho faz algum tempo que não sei precisar o quanto, saiba que sempre foi de grande incentivo, sou corredora de curta distância, que luta com muitos probleminhas que aparecem, e sempre que vejo relato como esse me fortaleço Parabéns és um Guerreiro.

  • Eduardo Acacio  says:

    Sandra,

    agradeço pelo seu comentário, e fico imensamente feliz de saber que de alguma forma, somos portadores de boas atitudes e engrenagens da motivação para pessoas iluminadas como você.

    Novamente agradeço por sua visita e por tão magnificas palavras !!!

    Sucesso Sempre e Sempre !

  • Antonio Colucci (@antoniocolucci)  says:

    Parabéns Edu
    Tempo, ora o tempo… se der ótimo, se não der foi muito melhor que ficar no sofazão com o controle remoto na mão ou com o celular escrevendo asneira por aí. hehehe
    Mandou bem D+
    Abraço e força
    Colucci

  • Eduardo Acacio  says:

    Opa celebridade por aqui … em meu humilde blog … fera vc sempre é e sempre será o cara … pode estar a maior onda contra que vc sempre arruma meios de arrebater com bom humor e aquela luva de pelica com giletes nas pontas …
    Valeu fera !!!

Deixe seu comentário ...