Á Prova de Tudo … Mas em Paranapiacaba …

E quem diria que em tão pouco tempo de recuperação eu iria encarar pirambeiras sem precedentes, mas para mim estas pirambeiras representam a minha superação pessoal, e elas estão na cidade de Paranapiacaba, com trilhas, morros e rios embrenhados em meio ao que resta da Mata Atlântica. E para aproveitar um pouco mais da cidade turística de Paranapiacaba, chegamos cedo e registramos várias fotos, a cidade estava mais agitada do que das últimas vezes que estive por lá, com seu ar pitoresco, muito por conta do abandono do Governo do Estado, consegue atrair muitos turistas que vão para passear e praticar passeios e acampamentos em meio a natureza. (fotos)
O local da concentração da prova foi no já tradicional Antigo Mercado Velho, e quando cheguei já rolava desde ás 08h00 o Endurance de 50k, só os feras da montanha, quem sabe em 2014 encaro esta pedreira solo.
A retirada do kit da prova foi bem tranquila, sem os típicos probleminhas que sempre encontramos por ai, ficamos por ali e logo a família Ferrarezi chegou para abalar a cidade de Paranapiacaba, e por lá ainda muitos amigos e amigas que cansados dos mesmo percursos das provas em São Paulo, foram experimentar e reviver a sensação de correr em meio a mata Atlântica.

E as horas passaram rapinho, e cerca de meia hora antes da largada, o diretor da prova informava que os 12k iniciais agora seriam 14k, o que já seria pirambeira pura agora teria o famoso chorinho de 2k, mas muito pelo contrário do que estamos habituados, ninguém reclamou, todo mundo encarou de boa o desafio. E pontualmente as 15h00 foi dada a largada para os 14k que se comparados dariam fácil 26k de corrida no asfalto, e após cerca de 1,5k encaramos a primeira das muitas pirambeiras, e foi durante a subida que encontrei a Ultra Naoko, que nem demostrava cansaço por conta dos mais de 50k que acabará de ter feito, e ainda me disse “Essa galera forçando na subida, pensa que vai chegar onde …” se ela estava dizendo isso que sou eu para contrariar.
Passando pela subida chegamos a um trecho de declive, o qual coloquei a prova meu joelho, e graças a Deus nenhuma dor, ao final do declive pegamos um trecho plano, e pasmem logo ali na frente uma filinha básica, mas o que uma fila faz no meio de uma prova? Bem ali era a entrada para o inferno verde, e a passagem era feita de um por um, para encarar quase 1k de “corrida” dentro das águas de um rio, e inevitavelmente cai de cara na água, e isso tudo sob o testemunho e gargalhadas de nada mais nada menos que Fernanda Ferrarezi, mas aqui faz aqui paga, e logo em seguida foi a vez dela, cair de braçadas no rio.
Após os quase 1k dentro do rio, saímos em meio a um lamaçal, e ali a altimetria só se fez subir e subir, a cada curva tínhamos uma surpresa, e mais morros, e quando surgiam os pequenos trechos planos, eram seguidos de verdadeiros tobogãs de lama, o legitimo “esquibunda de lama”, mas quem fez o test drive desta vez foi a FFF, correr bem era difícil, mas estávamos ali era mais pela diversão do que pelo tempo em si, e foi em um destes tobogãs em que na minha indecisão tive a ajuda da FFF morro abaixo, dando um empurrão mui amigo, bem ao estilo Argentino, quase indo parar em Cubatão, só faltou o Galvão Bueno dizer “Sai que é sua Taffarel…” .
Dado momento a dona FFF me diz para eu seguir sozinho, mas equipe é equipe, mesmo equipe de dois, e fomos juntos dando altas risadas e ela reclamando e rindo os 14k, doida de pedra total, encontramos pelo percurso um senhora de 60 anos que deu um show de disposição e alegria por estar ali correndo, e deu uma dica para correr bem, fazer tricô, vou começar a fazer cachecol e vender então!
E passando por todas as pirambeiras inimagináveis, quase ser vítima de um “corredormicídio” chegamos ao trecho final da prova, e justamente no momento em que buscávamos forças e energias para chegar, no meio do percurso uma galera adolescente que estavam acampando e de boa fumando um belo beck, para chegarmos doidões na vila de Paranapiacaba, quase cantando Bob Marley, a chegada foi algo sensacional com direito a torcida e tudo mais.
Mesmo depois de tantas pirambeiras, lama e rio, espero em 2014, estar de volta para fazer algo que é inigualável, em termos de corrida e superação! O único ponto falho foi a falta de um ponto de hidratação conforme era dito no regulamento, então fica a dica, utilize uma mochila de hidratação para provas deste tipo.
Vamos em frente, e o próximo desafio deverá ser a meia maratona da Corpore, em 14 de abril na cidade Universitária de São Paulo.
Ótima semana a todos e sucesso Sempre !!!

Este Blog mostra a todos que com fé,persistência e força de vontade tudo é possível !!!

5 Comentários para Á Prova de Tudo … Mas em Paranapiacaba …

  • Antonio C R Colucci  says:

    Parabéns Edu e equipe FFF
    Beijos e abraço
    Colucci
    @antoniocolucci

  • Rafa Alves  says:

    Grande prova e parabéns pelo desafio, essa é uma das mais complicadas do Circuito Paulista.

    Abraço!

  • Jorge  says:

    Aeee Dudu muito boa a sua volta as corridas e ainda por cima em grande estilo junto a natureza e correndo ao lado da FFF, gostei da sua atitude quando a FFF mandou vcs prosseguirem e vc não deixou ela para trás…Parabéns fera!!!

    Bons treinos,

    Jorge Cerqueira
    http://www.jmaratona.com

  • Luiz Souza  says:

    Parabéns pela corrida
    Show de bola e grande superação. Arrepiou meu “fio”

  • Andreia Roldão Perestrelo  says:

    PARABÉNSSS PELO DESAFIO!!!!!
    VOCÊS SÃO FERAS!!!
    Beijinhosss
    Andreia Roldão

Deixe seu comentário ...