Se Chorei, Se Sorri … Bye 2012 !

E lá se foi 2012, um ano cheio de boas e más surpresas, de tristezas e muitas alegrias, foi o ano do termino de um ciclo de trabalho de quinze dentro de um dos maiores Jornais do País, o Estado de S. Paulo, um ano em que muitos esperavam que fosse o último de nossa existência neste universo, mas na verdade era uma mera referencia a um calendário de um povo que pensava estar sozinho neste planeta, o ano da lesão, das duvidas e da ansiedade.


Mas creio que não há mal que dure para sempre, apesar de estar em férias forçadas mantive meu ritmo de treinos e provas e vinha bem já pensando sobre a última prova do ano a Corrida de São Silvestre, mas no mês de agosto participando de uma prova na região da Mooca em São Paulo, uma prova esta com muitos aclives e gigantescos declives acabaram por lesionar meu joelho direito, a partir dai foram inúmeras consultas a médicos da rede publica, mas infelizmente sem um plano de saúde este tipo de problema e considerado banal dentro do serviço publico de saúde, e fui seguindo adiante fazendo uso de medicamentos e realizando alguns exames os quais não constataram nada, mas as dores continuavam. Finalmente as dores ficaram menos intensas, e com a natação, bike e a musculação, consegui melhorar um pouco minha condição física, mas sabia estava muito a quem daquele corredor que vinha bem até o mês de agosto, e neste período de recuperação a ansiedade e uma certa dose de desamino tomou conta de mim, ganhei peso e já não me senti tão bem comigo mesmo, em minha cabeça para mim corridas apenas em 2013.


E foi em dezembro que recebi um convite da Água Schin para correr a São Silvestre, pensei comigo mesmo que seria um recado divino para que eu não desistisse de tudo que havia conquistado até aqui, ainda em dezembro fui participar do Treino de Natal organizado pelo Antonio Colucci, lá conheci novos amigos e testei minha condição para a corrida, durante o treino ficou claro que não estava bem, logo após o 4km de treino me sentia cansado e não conseguia dar o movimento correto para as passadas, abortei o treino mas meus amigos não me deixaram voltaram comigo para o vão do MASP, para mim o melhor treino de todos !


E claro faltando poucos dias para a Corrida de São Silvestre, minha academia me deixou na mão e enforcaram todos os dias desde o Natal até o Ano Novo, coisas de Brasil.


Fiz treinos de Bike para tentar melhorar minha condição física e alguns treinos de corrida sem forçar muito, mas sentindo as dores no joelho, e pela minha cabeça já passava a franca intenção de desistir em correr os 15 km de uma prova que por si só já é dura para que esta em 100% de sua condição física e psicológica.
E na noite anterior a corrida, tive pesadelos, onde desistia da prova mesmo antes da largada da prova e neste pesadelo eu parava antes do 4 km e voltava para a Avenida Paulista, uma sensação horrível, para mim o pior pesadelos de todos.
Mas chegou o dia e logo as 4h40 da manhã estava de pé, um tanto sem confiança, mas sabia que deveria seguir a diante, cheguei na região da Paulista logo as 06h30, encontrei meu amigo Marco por lá e ficamos vendo os tradicionais corredores exóticos circularem pela região, pessoas, dentre eles O Corretor Corredor pessoa impar em gentileza e alegria!
E as 08h35 fomos lá para a frente do MASP aguardar a largada da 88ª Corrida Internacional de São Silvestre, a minha 6ª participação nesta festa do atletismo Brasileiro/Queniano, e antes da largada o empurra – empurra de sempre, e o Marco me pergunta : Qual vai ser seu ritmo?
Minha resposta, quase que imediata foi “Que nem sabia se iria terminar a prova.” Algo que jamais havia dito para ele, mesmo nos piores dias sempre fui enfático em nunca desistir, mas desta vez uma nuvem negra pairava sobre minha cabeça.

E dada a largada ficamos ali um bom tempo parados e achei que já fosse o Show da Virada, pois todos olhavam para frente para o palco em forma de coração e ninguém se mexia, e dai começou a procissão de corredores e faixas, comecei a trotar apenas após o pórtico de largada, estava me sentindo muito bem e até um faixo de esperança começou a ascender em mim, fomos com a massa rumo a avenida Pacaembu e partir dali, pensei comigo mesmo em não desistir ir até o final, fazer cada curva, percorrer cada metro dos 15 000 metros da Prova, e fixei isso na minha mente, não sou muito de frases de motivação ou de efeito, pois o limite entre a dor e a lesão é de um fio de cabelo, mas desta vez esta frase me motivou …

Apesar da água fervente oferecida aos atletas e do isotônico jogado aos corredores como se fossemos animais, esta foi a minha participação mais divertida, pois neste novo percurso passamos pela nossa Buenos Aires Brasileira (Largo do Arouche) e outros belos pontos do abandonado centro de São Paulo e o percurso esta muito menos desgastante com mais sombra, o que tornou a minha prova e a dos demais corredores menos sofrível.
Confesso, sim andei e andei muito, não por que eu queria, mas por que não estava em plenas condições de correr 15 km direto e reto, mas isto não é vergonha para ninguém e sim uma prova de determinação.
Ao chegar na esquina da Brigadeiro Luis Antônio com a Avenida Paulista, sob os óculos e todo o suor que escorria de meu rosto, chorei copiosamente, um choro de libertação algo que parecia estar espremendo meu peito nestes últimos meses de 2012, foi divino completar a São Silvestre, mesmo com todos seus problemas de organização ela ainda faz a diferença entre encerrar o ano bem ou mau! E lembrei de um música do Rei ” Se chorei, ou se Sorri …” acho que mais sorri …
Eu encerrei 2012 de bem comigo mesmo, venci o maior obstáculo de todos eu mesmo!

E vamos em frente apesar das dores nas coxas, o joelho não reclamou tanto e tenho fé de que 2013 será ainda melhor !!!

Sucesso Sempre !

Esse Blog mostra a todos que com fé,persistência e força de vontade
tudo é possível !!!

11 Comentários para Se Chorei, Se Sorri … Bye 2012 !

  • Joel dos Santos Leitão  says:

    Caro Edu, parabéns por terminar a São Silvestre com tantos obstáculos que teve nos últimos meses.
    Espero que você dê a volta por cima e que brevemente suas férias forçadas terminem.
    Se quiser me manda o CV, pois sabendo de alguma oportunidade te recomendo.
    Também gostei muito de correr no Largo do Arouche. Esse trecho, na minha opinião, foi o ponto alto da festa, digo, da corrida.
    Abração!!!

  • Eduardo Acacio  says:

    Fico imensamente agradecido… E desejo um super 2013 …Amigo!!!

  • Paulo  says:

    Parabéns Eduardo, uma prova de superação! Que 2013 seja muito melhor que 2012 para você.

    Um abraço,
    Paulo
    http://www.correcoracao.blogspot.com.br

  • Professor Ademir  says:

    É isso ae Edu. Parabéns!

  • paulo brasil  says:

    parabens meu amigo, texto fantastico, e relato de uma humano determinado sem medo de expor q é um “super-homem”! vc é um super -homem pela determinação e caráter. Soou seu fã! grande abraço e que venha esse 2013 para conquistarmos!!!!!!

  • ivana.  says:

    Ô maravilha, PARABÉNS, amigo, um relato emocionante. Beijo e muito sucesso em 2013.

  • Fábio Namiuti  says:

    Que 2013 seja um ano de muitos sorrisos. E quilômetros também, grande guerreiro. Abraços e feliz ano novo!

  • Japarun  says:

    Muito inspirador.
    Fiquei até com vontade de participar da proxima corrida!
    Parabéns

  • Jorge  says:

    Dudu boa tarde mesmo com os contratempos que vc teve, ainda bem que vc nao desistiu de correr a SS, meus parabéns amigo…Desejo a vc um Feliz Ano Novo repleto de muita saúde bons kms.

    Um forte abraço,

    Jorge Cerqueira
    http://www.jmaratona.com

  • Corredora Feliz  says:

    Que relato lindo cara, lindo e divertido. Parabéns pela SS. E sempre digo na São Silvestre o tempo não importa, pois ninguem te pergunta qual foi seu tempo, perguntam sim, se você concluiu. Feliz 2013

  • Brunno  says:

    Parabéns, Eduardo.

    Desejo que seu ano de 2013 seja de maior sorte e maiores conquistas do que em 2012.

    O importante é não desistir e avançar na medida do possível.

    Abraço.

Deixe seu comentário ...